quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Em flor



Uma das minhas plantas favoritas começou a florir. A "pata de cavalo" (Farfugium japonicum) é uma daquelas plantas que tem o condão de me transportar para o passado. É uma planta "antiquada"
raramente utilizada nos jardins de agora mas muito utilizada nos jardins de antigamente. Lembro-me de as ver quando era miúdo e de achar graça à forma das folhas e sobretudo ao nome "pata de cavalo".
Depois de muito procurar, e de ter equacionado um "raide nocturno" a um determinado jardim que tem dois exemplares de grande tamanho num dos canteiros, lá consegui encontrar num cantinho esquecido de um garden center um mini exemplar (com 2 folhas). Comprei-o sem pensar duas vezes e embora tenha necessidades hídricas um pouco superiores às das outras plantas do jardim suportou muito bem o Verão num regime de regas semanais. O único senão é q nos dias mais quentes as folhas ficam murchas, diminuindo o valor estético da planta.
As flores por si não são muito interessantes mas pela profusão e pelo contraste que o amarelo das pétalas faz com o verde escuro das folhas tornam a planta bastante interessante nesta época do ano.

4 comentários:

Cris Bolbosa disse...

Olá,
Por cá a minha também está em flor.
Também me lembro desta planta desde há muitos anos, cultivadas em caldeiros, mas é curioso que não me recordo das flores! Será que as retiravam?
Mas eu gosto das flores, são de uma amrelo muito vivo e contrastam bem com as folhas.

Cris

denisy disse...

Essa planta ,pata de cavalo , eu não conhecia acho que agui no Brasil não tem . Ela é linda .

gintoino disse...

cris, eram bastante comuns há alguns, (muitos)anos. Depois cairam em desuso não sei porquê e hoje já é muito raro vê-las pelos jardins, muito menos nos viveiros.
denisy, pena q esteja tão longe, teria todo o gosto em lhe enviar uma muda. A planta é muito bonita.

ana disse...

olá, sei que há muito tempo que escreveram os comentários mas só agora descobri este blog e gostaria de saber como posso adquirir essa planta, visto nao ser facil nos viveiros, obrigada